leaderboard.gif

#BilhetesComHistória Anderlecht x SL Benfica 1983

Estreámos a rubrica #BilhetesComHistória com a segunda mão desta final. Hoje trazemos uma história, contada pelo João, que à boa maneira benfiquista lhe foi passada pelo seu pai.

Vamos nessa viagem até à Bélgica?


O Jogo

Final - Taça UEFA - 1ª Mão

Anderlecht 1x0 SL Benfica

04 Maio 1983

19H00

Estádio Heysel


Marcador: Kenneth Brylle (29')

Onze: Bento, Pietra, Frederico, Álvaro Magalhães, Humberto Coelho, Shéu, Carlos Manuel, José Luís, Diamantino, Chalana e Filipović

Suplentes: Delgado, António Bastos Lopes, João Alves, Veloso e Néné

Treinador: Sven-Göran Eriksson


Já passou algum tempo desde que as finais europeias eram disputadas a duas mãos, e esta final não estaria completa sem a sua 1ª mão.

Tal como a história partilhada anteriormente, esta também passa de pai para filho, conforme manda a tradição benfiquista.


Conta-me o meu pai que: “Após passarmos as meias finais contra a Universitatea Craiova, falou-se em jeito de brincadeira irmos ver o jogo a Bruxelas, esquecendo-nos de um factor importante: Nenhum do grupo de 3 amigos tinha carta de condução ou sequer carro, e muito menos dinheiro para viajar. O facto de nunca termos visto o Benfica numa final europeia levou a melhor e fez-nos sonhar ir a este jogo.

Foi então que o irmão de um colega, muito mais velho, e com uma carrinha betford se juntou e foi a solução para chegarmos ao Estádio de Heysel.



Partimos dois dias antes do jogo, sempre por estradas secundárias e parando apenas em pequenas aldeias ou cidades. E à boa maneira Tuga levámos a bagagem cheia desde rissóis, croquetes, pastéis de bacalhau e frango frito. Até latas de atum, cavala, sardinhas e lulas. Utilizando as paragens apenas para o abastecimento de pão.


Após dois dias de aventura, conseguimos chegar duas horas antes do jogo sendo o bilhete entregue apenas nessa altura uma vez que tinha sido comprado por um amigo emigrante.

Quando entramos no estádio um dos colegas, mais conhecido por Zé Manuel Ferro Velho, começou a chorar de emoção, exclamando “Este estádio é tão pequeno!”, sendo que só conhecíamos praticamente 3 estádios, o enorme Estádio da Luz, o do Restelo e o Estádio Nacional.


O Benfica fez um jogo incrível e foi junto à nossa baliza que na 2ª Parte Diamantino enviou a bola à trave a menos de um metro da baliza, que para nossa tristeza no momento nos deixou confiantes, para dar a volta no segundo jogo em Lisboa. O que infelizmente não veio a acontecer.”


Texto da autoria do benfiquista João Paixão via Facebook.

© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram