© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
leaderboard.gif

Carta Aberta a Luís Filipe Vieira


Caro Presidente


Já há algum tempo atrás que tinha uma palavras presas na minha mente que lhe queria pronunciar. E, apesar de não ser associado do Benfica e consequentemente, nunca ter ido a uma Assembleia Geral, os acontecimentos ocorridos na noite de ontem levaram-me a querer deitar tudo cá para fora.


Antes de mais, devo dizer-lhe que, sinceramente, pouco me importaram as polémicas que foi coleccionando ao longo da sua vida profissional antes de chegar ao Benfica. A mim, o que o fizesse pelo Sport Lisboa e Benfica esteve sempre acima de todas as polémicas extra-Benfica e extra-futebol.


Lembro que quando chegou ao Sport Lisboa e Benfica no ano de 2001, após a pior época da história do clube, a contestação em torno de si já era grande. Mas na altura era muito novo para compreender os motivos. O que eu só acompanhava naquele tempo eram os resultados, que pioravam de ano para ano, numa altura em que ainda não tinhas memórias de ver o Benfica conquistar um título, nem do campeonato de 93/94, nem das Taças de Portugal de 92/93 e de 95/96.


As minhas primeira memórias surgiram nos primeiros anos da sua presidência, com a Taça de Portugal conquistada frente à super equipa do FC Porto (há que o admitir), e o campeonato na época seguinte, que acabaria com um jejum de 11 anos, o maior da história deste grandioso clube.


Lembro-me que na altura, o Sr Presidente disse que o Benfica ainda não estava preparado para construir uma hegemonia no futebol português. E o tempo veio a dar-lhe razão. Muitos adeptos contestam-no por essa hegemonia ter demorado tanto tempo a chegar. Nos dias de hoje, sei que as coisas não eram assim tão simples. Sei que construir uma estrutura sólida e capaz de dominar a nível nacional não é algo que se faz de um ano para o outro. Porque afinal de contas, isto não é o Chelsea FC. O Benfica não foi comprado por um bilionário russo que, para além de ter salvo o clube da falência, ainda injectou rios de dinheiro no clube que lhe permitisse contratar jogadores de classe mundial.


Hoje percebo e reconheço que para si, a prioridade nos primeiros anos da sua presidência foi a recuperação e a reestruturação do clube. E por muitos erros que tenham sido cometidos nesse período, esse também ajudaram o clube a crescer e a chegar onde chegou. Ajudaram a crescer o Benfica e a si também.


Um bom exemplo disso mesmo, foi quando despediu de forma precipitada o treinador Fernando Santos (do qual nunca fui fã), após a primeira jornada do campeonato 2007/2008, com uma equipa ainda em construção; e seis anos depois, após um final de época traumatizante, renovou contrato com Jorge Jesus quando eu era um dos poucos benfiquistas que defendia a sua continuidade.


Sim, eu aprovei a sua decisão nessa altura, porque reconhecia que apesar do pesadelo que foi aquele final de época, havia um processo, havia trabalho e havia qualidade que permitiram ao Benfica chegar às decisões todas. Porque as grandes equipas não são aquelas que ganham sempre, mas sim aquelas que disputam sempre até ao fim.


Esse final de época, bem como a sua decisão em manter o treinador contra a maioria dos adeptos e dos elementos da estrutura foram o início do Tetra, o primeiro da história do Sport Lisboa e Benfica, E só tenho pena que a ambição tenha ficado por aí, mas já toco nesse assunto.


A realidade é que estando quase a completar o 16º ano na presidência, a obra feita que o Sr deixou é absolutamente inegável. O Sr recuperou a identidade e a credibilidade do clube, construiu infraestruturas, conquistou títulos, reformulou as modalidades e os escalões de formação, fez do Benfica uma marca conceituada que atrai patrocinadores de renome mundial.


Por muitos defeitos que tenha e e por muitos erros que tenha cometido, factos são facto e só um ignorante pode fechar os olhos ao que já fez pelo nosso clube. Da minha parte, enquanto benfiquista que cresceu em pleno Vietname, jamais serei incapaz de ficar indiferente àquilo que já deu ao Sport Lisboa e Benfica.


Porém, nos últimos tempos, também têm existido vários episódios aos quais eu não posso nem quero fechar os olhos. Não me esqueço da forma como depenou o plantel há dois anos, não me esqueço da história das luzes, não me esqueço facto de insistir em dar sustento a certas sanguessugas que só o querem ver pelas costas. Não me esqueço quando prometeu cometer uma loucura e depois disse não o fazer por respeito a um homem que assaltou o Benfica em 1993. Estou cansado das falácias do "Benfica Europeu", estou cansado das promessas de que o Benfica será um colosso europeu dentro de x anos. Estou cansado das posturas e respostas mansas a todos os ataques de que o clube tem sido alvo nos últimos anos...


Acredite, eu respeito que queira caminhar com os pés assentes no chão e que não queira hipotecar o futuro do clube em prol do sucesso europeu no imediato, como aconteceu há alguns anos atrás. Mas sendo assim, porque é que investia forte no plantel quando o passivo e a divida cresciam a olhos vistos? Porque é que todas as épocas gasta milhões em jogadores que são meras oportunidades de negócio? Se é para privilegiar a aposta na formação, porque é que os jogadores contratados não serão jogadores de classe mundial (do estatuto de um Aimar, por exemplo) que entrem de caras na equipa titular? Contratar um guarda-redes e um segundo avançado no último mercado era assim tão dispendioso ao ponto de comprometer os excelentes resultados financeiros que o clube teve?


Para além disto, há ainda outras coisas que quero referir. Antes de mais, esta década não é a melhor da história do Benfica, como o Sr Presidente já teve a ousadia de dizer. Depois, devo também lhe dizer, que apesar de toda a gratidão que lhe guardo, para mim não é nem nunca será o melhor presidente da história do clube. O Sport Lisboa e Benfica tem 115 anos de história, e muitos presidentes que contribuíram para a grandeza e a dimensão do clube.


O Sr pegou no Benfica quando este estava mergulhado na lama e voltou a fazer deste um clube notado e respeitado em todo o mundo. Da minha parte, o meu agradecimento por isso jamais será colocado em causa. Mas com toda a sinceridade, devo dizer-lhe que o seu ciclo está a chegar ao fim. E a sua atitude irreflectida na Assembleia Geral de ontem só vem fortalecer a minha opinião. Se existe alguém que esteja acima do Benfica, esse alguém tem uma estátua à porta do Estádio. E o Sr deve saber perfeitamente quem é.


Por isso, por muito que alguém dê ao Benfica, isso nunca lhe irá garantir um contrato vitalício no clube. Nem o fundador Cosme Damião resistiu quando os adeptos exigiram que estava na hora de mudar. Portanto, esta é a melhor oportunidade que tem para o Sr Presidente poder sair por uma porta grande (pelo menos, na minha opinião). Tudo tem o seu ciclo e é preciso ter a maturidade para reconhecer que é preciso sair e dar sangue novo ao clube. .


Por isso, deixo aqui o meu agradecimento por ter endireitado o Benfica, mas está na hora de colocar o lugar à disposição, de virar a página e dar a oportunidade a alguém de escrever o seu nome na história do Sport Lisboa e Benfica, alguém que esteja ambientado com a realidade do futebol europeu e que dê sangue novo ao clube.



Os meus cumprimentos

Tiago Serrano