leaderboard.gif

"Não há problema, mete-se um puto!"


Foto: facebook.com/SLBenfica


Ponto prévio: já sei que as palavras que se seguem vão levar aos inevitáveis "quando perdemos temos de apoiar", "deves ser benfiquista do Marquês" e por aí fora. Não quero saber. Já há algum tempo que confidencio no meu círculo de amigos benfiquistas que discordo da ideia pateta que temos uma super equipa, prontinha a chacinar todos os oponentes em território nacional e conquistar o Velho Continente nas asas dos jovens do Seixal. Digo mais, até: não temos uma equipa muito superior aos nossos rivais (sim, incluo os vizinhos complexados). Essa falsa sensação de estarmos em condições de acumular campeonatos sem grande dificuldade tem-me preocupado bastante. E o jogo de sábado serviu para acalmar a bazófia que, diga-se, vem muito de quem lidera o clube. Temos, em potencial, uma grande equipa. E potencial para, com os passos certos, estar nos próximos anos com alguma vantagem competitiva sobre as restantes equipas da nossa Liga. Mas ainda não estamos lá, nem pouco mais ou menos. Porquê? Na minha opinião por sobranceria, arrogância e provavelmente falta de conhecimento sobre futebol, por parte do presidente.


A aposta no talento do Seixal é o caminho certo, claro está. Nem vale a pena explicar porquê, acho que é mais ou menos senso comum nesta fase. Mas nem só de jovens se faz uma grande equipa. Claro está que, SE se mantivessem todos anos a fio, esse potencial seria tremendo, mas como sabemos isso nunca vai acontecer, face à facilidade com que equipas de outras ligas chegam aqui e batem cláusulas sem suar.

Assim, o caminho só pode ser dotar a equipa de um equilíbrio entre os young guns e jogadores com capacidade para fazer a diferença, acrescentar experiência e acima de tudo de qualidade incontestável.