leaderboard.gif

Famalicão – Benfica 1:1 Sofrimento, mas enfim Jamor!

As duas equipas vinham de maus resultados. Se o Benfica perdeu na casa do seu concorrente directo na disputa da liga, o que dizer da pesada derrota caseira do Famalicão com o Vitória Sport Clube. Posto isto, a expectativa deste jogo seria ver qual das equipas iria reagir melhor face a estes desaires. Acabaria por ser o Benfica a ter mais dificuldades, mas foi quem conseguiu alcançar a tão desejada final da taça. Desculpem, não é só a final da taça, é a maior festa do futebol português, é (ainda) das poucas coisas boas que este tem e o que melhor lhe destinge do resto do mundo. Sou um confesso apaixonado pela final da taça e pelo JAMOR, foi lá que me fiz benfiquista de coração cheio, foi lá que se deu o click, corria o ano de 2004, perdoem-me o egoísmo.... Vamos ao que interessa.... Vamos ao jogo!


Estava ainda fresco na nossa memória o jogo da primeira mão. Se havia ilação a tirar daí, seria a seriedade com que tinha de ser encarada a segunda mão. A equipa do Benfica tem vindo a denotar algum cansaço nos últimos jogos (Pizzi, André Almeida principalmente) e casos sérios de má forma (Ferro, Grimaldo e Seferovic). A juntar a isto poderíamos ainda ter eventuais jogadores que não tivessem recuperados fisicamente do último jogo. Relembro que Vinicius, Rafa, Weigl e Ferro não tinham sido titulares na primeira mão. Seria de esperar que jogadores como Cervi, ou eventualmente Samaris, entrassem na equipa. Tendo a certeza de que pelo menos André Almeida seria substituído por Tomás Tavares. Outro aspecto a ter em conta era a frescura do nosso adversário, já que este não havia utilizado os melhores jogadores no ultimo jogo do campeonato.


O Benfica acabou por apresentar o seguinte 11: Vlacho,TT, Ruben, Ferro, Grimaldo,Pizzi, Tino (a surpresa), Taarabt,Cervi, Rafa e Vinícius. Este alinhamento faz lembrar Paços e a estratégia acabou por ser muito semelhante à desse jogo, mas a falta de “pernas” e “pulmão” não deu o efeito esperado. Principalmente no aproveitamento dos espaços. O cansaço leva a decidir mal e foi isso que se viu em muitas ocasiões de contra ataque.


Entramos bem no jogo. Intensos, pressionantes, a circular. Mas o Famalicão apresentou-se muito competitivo. Era o jogo mais importante na vida daqueles jogadores, não nos esqueçamos disso. Tivemos 30 minutos muito bons e fizemos um golo originado por uma boa pressão coletiva. Nos últimos 15 minutos já se notou algum cansaço e incapacidade para ter bola.


O tal cansaço teve a companhia de alguma intranquilidade em aalguns jogadores na segunda parte. Faltou personalidade coletiva. Critério com bola. Agressão à defesa contrária através de contra ataques. Conseguimos equilibrar as coisas com as substituições e o jogo foi melhorando com a sucessão delas. Tanto com a entrada de Chiquinho como com a entrada de Samaris deu mais alguma segurança e não atingimos o pleno com a de Seferovic porque este teve mais uma perdida glamorosa. O problema das substituições foi só um, foram feitas demasiado tarde!


No cômputo do jogo chegamos à conclusão que algo tem de mudar nesta equipa. Foi muito sofrível e não fosse o nosso guarda redes, não estaríamos já a ativar grupos no Whats app para preparar a festa no Jamor. A arbitragem foi outra vez muito má, fazendo jus às arbitragens da AF Porto. Quero ainda dar os parabéns a este Fama. Tem uma equipa muito capaz e bancadas cheias de alma. Que este projecto assim continue.




Destaques Individuais:


9-Vlachodimos

MVP! Imaginem se lá estivesse outro que não ele. Levou-nos ao Jamor. Só não leva nota máxima devido ao erro no golo anulado do Famalicão. Mas mesmo depois disso recompôs-se. Deu sempre confiança aos seus colegas, numa defesa que tem estado muito frágil. Obrigado Ody!

6-Tomás Tavares