leaderboard.gif

Gil Vicente 0 - 1 Benfica: Vitória na raça, no pragmatismo e na bancada

Hoje apetece-me começar a crónica revelando quem foi para mim o famoso e por vezes controverso MVP. Vinícius golo importante? Samaris a segurança que faltava? Taraabt o agitador? Vlachodimos o salvador da pátria? Não… O MVP esteve na bancada. Quando Bruno Lage na conferência de impressa pré-jogo dizia que era momento do Benfica perceber onde tinha de melhorar, os adeptos deram um passo em frente e alinharam-se na linha da frente rumo ao 38. Foi fantástico o apoio dado à equipa durante todo o jogo. Lage sentiu e reuniu as tropas no fim do jogo para o justo agradecimento à rapaziada benfiquista. É verdade que no Norte, por vezes temos jogos assim. Oxalá esta onda continue na Luz já na próxima quinta feira e se prolongue até ao fim da época. O Benfica precisa de nós, hoje foi prova disso mesmo. Mais cânticos, menos assobios, mais palmas, menos telemóveis. Agora, vamos até às 4 linhas.


A surpresa no 11 foi sem dúvida a inclusão de Samaris. Equilíbrio e consistência foram palavras chave proferidas por Lage antes do jogo. Samaris trouxe isso à equipa. Vinham sendo notórias as dificuldades no lado esquerdo da defesa e com o grego por ali, pelo menos neste jogo, esse problema não se repetiu. Ganham-se umas coisas, perdem-se outras. Mas olhando para este jogo e para a fase em que a equipa se encontra, esta entrada fazia sentido e sortiu o efeito desejado. Para a entrada de Samaris saiu Cervi, que era quem vinha auxiliando Grimaldo nas tarefas defensivas, mas deixava naturalmente a nu as fragilidades de Ferro. Taarabt subiu no terreno e esteve mais perto de Vinícius. Esta medida também trouxe o tal equilíbrio desejado, pois Taarabt apesar de subir muito bem, por vezes descompensava a equipa. Perguntamo-nos então porque resultava e bem a dupla Gabriel/Taarabt? Pois, a meu ver, resume-se à frescura física que permitia uma pressão mais constante e uma melhor reacção à perda. Por falar em frescura… Há casos gritantes de fadiga na equipa que hoje fizeram-se notar mais uma vez. Pizzi é sem dúvida o caso mais preocupante, mas Grimaldo e Vinícius não ficam muito atrás. Estes estoiraram por volta dos 60 minutos. Era aconselhável ter substituído pelo menos Pizzi e Vinícius mais cedo.


Na primeira parte estivemos muito bem. Entramos bem na partida, os índices de agressividade estavam no ponto e o Gil Vicente demorou muito até conseguir ter algum ataque. Marcamos o golo naturalmente e até podíamos ter ido para o intervalo com uma vantagem de dois golos.


Na segunda, o Gil subiu as suas linhas e equilibrou a partida. Para isto contribuiu não só algum nervosismo e fadiga na nossa equipa, mas também as substituições operadas por Vítor Oliveira. Este é para mim, dos melhores treinadores no nosso campeonato. Hoje viu-se novamente uma equipa bem montada e um treinador que sabe mexer com o jogo a partir do banco. Ainda assim o Benfica conseguiu criar algumas oportunidades (aquela do Taarabt…) e Vlachodismo foi segurando a vantagem nas poucas oportunidades criadas pelo Gil. No entanto, exigia-se ao Benfica mais bola, mais tranquilidade e menos sofrimento.


Em suma, vitória justa, mas difícil. A raça vinda da bancada e o pragmatismo vindo da estratégia de Lage, resultaram nestes 3 saborosos pontos.




Destaques individuais:


7 – Vlachodimos

Esteve mais uma vez seguro e está lá quando é chamado. Voltamos finalmente a ter um jogo com folha limpa e podemos agradecer ao Ody com um par de boas defesas.


3 – Tomás Tavares

Esteve mal no passe, na cobertura defensiva, a fechar por dentro, enfim… Voltou a ter uma exibição ao nível das primeiras que teve. Ainda é muito jovem, sabemos que está ali um bom projecto, mas hoje vacilou.


6- Ruben Dias

Segurança habitual. Iniciou o jogo com agressividade excessiva o que lhe levou a um amarelo justo muito cedo. Contudo, manteve a compostura e liderou a defesa encarnada. Nota ainda para uma excelente incursão pelo flanco direito que, por muito pouco, não deu o golo a Vinícius.


6 – Ferro

Ainda não é o Ferro que já vimos, que queremos e que se exige. Teve alguns cortes importantes, mas foi macio noutros lances. Nota-se ainda alguma intranquilidade.


5- Grimaldo

Jogo após jogo, venho aqui dizer que está a jogar em esforço. Nas segunda partes nota-se muito mais… Na primeira ainda teve algumas incursões interessantes como por exemplo num passe a isolar Pizzi. Mas é curto. Precisa de descanso.


6- Pizzi

Enquanto teve pernas, o Benfica jogou bem. Mesmo em claras dificuldades ainda assistiu Cervi para uma excelente oportunidade de golo. Na segunda parte apenas preenchia o espaço e tentava gerir a pouca bola que tínhamos.


5-Weigl

Podia e devia arriscar mais no passe e progredir em posse. Tem qualidade para isso. No capítulo defensivo também esteve algo macio. Valeu pelo seu posicionamento em campo que equilibrou a equipa.


6- Samaris

Muito importante na estratégia de hoje. Como foi dito, deu à equipa o que esta precisava. Na segunda parte foi-se abaixo por falta de ritmo e a equipa ressentiu-se. Esteve bem no passe e na recuperação. Enquanto não houver frescura, Samaris + 10 por favor…


4-Rafa

Esteve muito apagado hoje. Não teve o espaço que tanto gosta. Se na primeira parte quando passava era travada em falta, na segunda os colegas não o acompanhavam. Podia e devia ter explorado mais as costas da defesa e não tanto o espaço entrelinhas.


7-Taarabt

Levamos todos as mãos à cabeça naquele lance. Seria um golo fantástico e merecido para o rei Adel. Foi uma posição pouco habitual nesta época para ele. Na minha opinião ,respondendo à falta de soluções naquela posição, pode e deve ser considerado mais vezes. Ele é criativo, tem remate, tem passe, tem primeiro toque e pressiona. Se jogar ali, não expõe tanto a equipa, por outro lado, tem menos influência na construção de jogo. É pesar os prós e os contras. Nesta fase, está ali bem… AH! Excelente cruzamento!


7-Vinicius

Tocou na bola pela primeira vez aos 15 minutos e meteu-a lá dentro. Não marcava golos de cabeça? Ok. Não há jogadores perfeitos… Nem era um péssimo cabeceador, nem agora é o melhor desde JVP… precisamos é que vá metendo as bolas lá dentro como tem metido e que corra como tem corrido. Ainda fez mais um golo, mas não contou. Podia e devia ter saído mais cedo. Notou-se que estava em esforço e acabou por sair devido a problemas físicos. Esperemos que não seja nada de grave.


6-Dyego Sousa

Segurou a bola, ganhou faltas, pressionou. Entrou com vontade e fez o que se exigia. Dá ideia que já devia ter entrado noutros jogos e mais cedo neste.


NA – Cervi

Veio dar uma “bengala” a Grimaldo e ainda vinha a tempo de matar o jogo. Entrou tarde…


NA – Chiquinho

A semelhança dos seus companheiros que vieram do banco, entrou uns minutos depois do que devia.


6 – Bruno Lage

Montou bem a estratégia e demorou a mexer. Tem sido uma constante de Lage, que acreditamos que melhorará com o tempo. Fica a ideia que sem aquele duplo pivot passaríamos pelo menos uma semana no segundo lugar. Esse não é o lugar do Benfica! Anulou o ponto forte do Gil. Esta equipa faz força das recuperações em duelos no meio campo e chega em poucos toques a zona de finalização. É uma equipa muito objectiva e o Benfica trabalhou por cima disso. Ainda assim é preciso ter mais bola e responder melhor e mais rápido ao que o jogo lhe dá.


10 – Benfiquistas da bancada

MVP! Continuar assim até ao 38 e até ao JAMOR! Todos à Luz na quinta feira!






PS: Primeiro lugar, melhor ataque, melhor defesa e vitória numa campo difícil.

© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram