top of page
leaderboard.gif

Arthur Cabral

Ponta de Lança, 25 Anos, destro, 1,86 metros, 80 Kg, já foi chamado à seleção brasileira, mas não teve ocasião de se estrear pelo escrete canarinho. Com a saída de Gonçalo Ramos para o PSG, era obrigatório reforçar - e com grande qualidade! - a posição “9” do ataque. O internacional português fez uma excelente época 22/23 e, como tal, não podíamos falhar no reforço daquela posição. Toda a qualidade do nosso futebol ofensivo terá de ter consequências positivas no placar dos jogos. Ora, Arthur Cabral encaixa muito bem no perfil que se pretende para a função e para a forma de jogar de Roger Schmidt.


O avançado brasileiro chega ao SL Benfica após 2 épocas e meia de muitos golos no Basileia (65 golos em 107 partidas), onde a sua equipa de então era dominadora e criava muitas oportunidades para ele finalizar, e 1 época e meia em Itália, ao serviço da Fiorentina, onde não sendo sempre titular, fez 1 golo a cada 150 minutos em 2022/23 e foi o melhor marcador da turma de Florença e o máximo goleador da 3ª competição europeia, a UEFA Conference League, tendo levado a sua equipa à final da prova.


Mas, então, quais são as características deste avançado sul-americano que já adquiriu bastante experiência na Europa? Arthur Cabral é uma besta física! Muito poderoso a nível atlético, competente no “1x1”, pois ganha muitos duelos, com boa capacidade técnica e uma enorme facilidade de remate (com os dois pés), dentro e fora da área. Relativamente a Ramos, com bola, é um jogador mais completo. Sabe jogar muito bem de costas para a baliza, permitindo fazer associações com os colegas e, ao mesmo tempo, com a sua velocidade, chegar rápido a zonas de finalização, onde se mostra muito oportuno e revela “faro de golo”. O jogo aéreo não se assume como a sua grande “arma”, mas não deixa de ser um elemento importante na bola parada, dada a sua dimensão física.


Já sem bola não denota tanta capacidade de pressão e trabalho como Gonçalo Ramos. Neste particular, competirá a Roger Schmidt trabalhar muito a questão mental do brasileiro. A sua maior debilidade está na cabeça. Parece-me um jogador muito instável do ponto de vista emocional. Todos sabemos que os avançados vivem dos golos, mas se Arthur estiver “fora de jogo”, é alguém que tem tendência a perder a concentração e a ficar desligado da equipa.


É mais um reforço que faz todo o sentido para o modelo de jogo do SL Benfica. Com jogadores como Di Maria, Neres, Rafa e até mesmo Bah, que revela muita qualidade para assistir e cruzar, Arthur terá, certamente, muitas oportunidades para mostrar toda a sua qualidade como matador. Acredito que será um atleta que vai cair no goto dos Benfiquistas. Que assim seja!


Bem-vindo, Arthur Cabral!


▶ Texto enviado pelo benfiquista João Nuno.


Queres publicar um texto no nosso site? Envia por email ou pelo formulário do site.


NOTA: A opinião aqui transmitida é da inteira responsabilidade do seu autor e não representa, necessariamente, a opinião do Benfica Independente

Comments


bottom of page