top of page
leaderboard.gif

Ensaio sobre a nojeira

No outro dia estava a ver um filme (Phenomenon, na Netflix) e dei por mim a pensar na mortalidade e efemeridade da condição humana. Calma, não estava a pensar em morrer, apenas no estado provisório da nossa vida e na maneira como aproveitamos o tempo que temos neste planeta. Sem entrar no lugar-comum do carpe diem e todas as teorias ocas à volta disso, a realidade é fulminante como o Jonas na área: só temos uma oportunidade e mais vale aproveitarmos ao máximo!

Nesse dia pode ser que se comecem a pensar em medidas concretas que reformem o futebol português de cima abaixo para que finalmente se consiga apreciar o jogo pelo jogo e aquilo que é mais puro neste desporto

Trazendo isto para o contexto futebolístico, esta semana tem sido pródiga em eventos trágico-cómicos que nos deviam obrigar a pensar. Todo o episódio Catão/Boaventura, e a novela que se lhe seguiu, é revelador do estado a que o futebol português chegou: miséria moral total e absoluta. Os limites da estupidez têm sido constantemente empurrados para patamares nunca antes vistos e aparentemente ninguém, para além dos que gostam do futebol e seus clubes, parece muito preocupado com isso. Os media rejubilam com as polémicas, a Liga e a Federação fingem que não é nada com eles, os dirigente dos clubes aproveitam a onda para lançar ainda mais lama sobre os adversários e os adeptos naturalmente entram na luta para defender as suas cores. Mas ninguém defende o futebol.

Acham que sou ingénuo ou lírico? Talvez. Não sou diferente do adepto comum e também dou por mim irritado e a querer espancar os Jota Marques da vida

A minha esperança é que eventualmente chegue o dia em que alguém com responsabilidade em cargos de decisão vai parar, olhar à sua volta e pensar: "Como chegámos a isto? De onde apareceram estas personagens macabras e porque lhes estamos a dar mais importância que a jogadores, treinadores e adeptos?" Nesse dia pode ser que se comecem a pensar em medidas concretas que reformem o futebol português de cima abaixo para que finalmente se consiga apreciar o jogo e aquilo que é mais puro neste desporto: a amizade, as experiências e a emoção daquele milissegundo que antecede um golo da nossa equipa. Isto não tem preço.

Não me entendam mal, existirão sempre polémicas e discussões num desporto de alta competição onde só um pode ganhar

Acham que sou ingénuo ou lírico? Talvez. Não sou diferente do adepto comum e também dou por mim irritado e a querer espancar os Jota Marques da vida, mas tem de haver algo mais para além do que temos visto nos últimos 5/6 anos. Bolas, se só tenho uma oportunidade para viver o nosso Benfica de certeza que não a vou desperdiçar dando importância a quem não a merece!

O primeiro passo é não dar audiência a este triste espectáculo. As coisas mudarão no dia em que os media e estruturas dirigentes perceberem que este não é o conteúdo que nós, os adeptos, queremos. Não me entendam mal, existirão sempre polémicas e discussões num desporto de alta competição onde só um pode ganhar, e isso até desperta mais interesse e emoção, mas uma coisa são os conflitos normais e saudáveis entre clubes... outra é este absoluto nojo que não pode ser considerado normal ou aceitável.


Celebremos o Benfica, cultivemos o benfiquismo e gozemos a amizade dos nossos.

Que se lixem os outros, só cá estamos uma vez.

2 Comments


André Pessoa
André Pessoa
Mar 28, 2019

Viva,


Infelizmente é a realidade dos últimos 30 anos do nosso futebol. Infelizmente tambem parece evidente para todos que Liga e FPF não fazem rigorosamente nada para pôr travão nisto - Fernando Gomes teve direito a um cantinho numa capa de jornal há muitos meses atrás pedindo calma e contenção, com os resultados que vemos.


Numa época que não mais se repetirá em que fomos campeões da Europa de futebol 11, campeões da Europa de Futsal, até de futebol de praia, com Cristiano Ronaldo, Ricardinho, com Mourinho e tantos outros treinadores a dar cartas Mundo fora, e quando a única preocupação da Liga deveria ter sido a promoção do nosso futebol além fronteiras, só se dá tempo de antena a…


Like

Paulo Gomes
Paulo Gomes
Mar 28, 2019

Boas,

Acho que o texto reflete claramente aquilo que se passa... Eu moro no Porto e cada vez mais tenho receio de andar 'equipado' com as cores do Benfica. Já sofri uma vez na pele essa audácia e cada vez é pior... Já andamos à muito a dizer que só quando as coisas correram mesmo mal é que alguma coisa será feita, mas acho que nem se alguma desgraça acontecer, isto agora muda. Quando temos pessoas que fazem o que todos podemos ver e depois essas pessoas são recebidas em programas de televisão...

Força Benfica, sábado estamos lá, rumo ao #37

Like
bottom of page