leaderboard.gif

Sem Margem de Erro


Vínhamos de um resultado menos positivo em Zagreb, no entanto, para o campeonato, vínhamos de uma grande vitória contra o Porto. Como disse na antevisão, era imperativo que ontem não perdessemos pontos. Impensável perder pontos em casa, perante os nossos adeptos.

Ontem, segunda-feira, logo a começar o dia, fui assolada por uma memória que gostava de ter bem apagada, mas que volta e meia me assombra... Estava eu a beber o meu café no sítio do costume, e alguém comenta com o empregado "O Benfica joga hoje. Aqui há uns anos a uma segunda-feira empatámos com o Estoril..." Caiu tudo. Foi como se de repente fosses transportada para aquela segunda-feira de maio. Ficou aquela nuvem negra por cima da cabeça.

No pré-match, tentas aferir a "fé no pau" do pessoal, como se costuma dizer no Benfica FM, e começas a ver que talvez não estivesse a 100%. Mas ignoras, e bom, é o Benfica não há-de ser nada.

*Mas continuas com aquela nuvem negra a pairar e a lembrar-te do jogo do Estoril. *

Começa o jogo e o Rafa não faz golo. Estamos a jogar à Benfica, e sabemos que mais cedo ou mais tarde o golo aparece e resolvemos isto. Novamente, impensável perder pontos com o Belenenses em casa nesta altura do campeonato.

Mas, mais minuto menos minuto e chega o intervalo. Começas a achar que realmente as coisas não estão a correr assim tão bem. Notas um cansaço nos jogadores, notas a falta de Gabriel e Seferović.

No entanto é óbvio, que se na segunda parte marcássemos cedo resolvíamos o jogo.

E o golo não tardou, por Jonas, aos 55 minutos o Benfica adianta-se no marcador. Bom cruzamento de André Almeida do lado direito, Jonas recebe, deixar bater e remata.

Ficamos confiantes, e sei que aquela conversa toda que ouvi de manhã não ia ter influência nenhuma e não fazia sentido.

Chegamos ao segundo golo! A Luz implode, por duas vezes devido ao VAR, mas está lá dentro. Vantagem de dois golos, por Samaris.

A vencer por 2-0, em casa, nunca podes conceber ceder dois pontos. Mas a história foi outra.

Um livre do lado esquerdo a favor do Belenenses SAD e 2-1. Erro de cálculo de Vlachodimos que julga que a bola vai para fora e entra na baliza.

OK, é "só" um golo e sabes que isso não vai abalar em nada a dinâmica da equipa.

Mas aos 70 minutos, num lance aparentemente controlado por Rúben Dias, este perde no duelo individual com Kikas, que após um atraso do Rúben, põe a bola no fundo da baliza, fazendo o 2-2 na Luz.

Sabes que agora as coisas não estão a correr definitivamente bem.

Lage mexe na equipa, mas pouco ou nada se viu dos elementos que entraram.

A equipa acusou o jogo de Zagreb e, principalmente, o esforço físico dos últimos jogos.

Rúben Dias esteve muito aquém daquilo a que nos habituou. João Félix também não esteve muito influente, talvez por sentir a falta da dinâmica com Seferović. Será o suíço assim tão importante na equipa do Benfica?


Em nota positiva, destaco Ferro e Florentino. O defesa central tem agarrado o lugar, como nunca pensei que o fizesse. Já Florentino esteve bem no miolo.


Após a vitória no dragão não poderíamos, nunca, desperdiçar a vantagem de dois pontos logo no jogo seguinte. Em casa. Depois de estar a vencer por 2-0.

Não podemos.

Mantemos a liderança, em igualdade pontual com o Porto. Continuamos a depender apenas de nós, mas a margem de manobra acabou de ficar reduzida a zero.




© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram