leaderboard.gif

Basquetebol 2019/2020 - Antevisão


A época oficial da equipa de basquetebol já começou, mas o campeonato irá começar no próximo fim-de-semana, com a equipa orientada por Carlos Lisboa a receber o Vitória SC no próximo sábado às 15h, em jogo a contar para a primeira jornada de um campeonato que traz algumas novidades, mas já lá vamos.


Depois de uma época que foi um fracasso em todos os aspecto, o Benfica parte para a nova época com as ambições renovadas. Apesar de ter perdido para a final contra a UD Oliveirense, Carlos Lisboa permaneceu no comando técnico da equipa, continuando a ser coadjuvado por Nuno Ferreira e Carlos Seixas. Assim, o técnico de 61 anos teve a oportunidade de construir um plantel à sua medida para a nova época.


Rapidamente foram anunciadas as saídas de Juan Cantero, Jaques da Conceição, Aléx Suárez, Mickell Gladness e Cláudio Fonseca, sendo que este último rumou ao Sporting CP. Mais tarde, seria ainda anunciada a saída do base Miguel Maria Cardoso. A meu ver a saída do base internacional português deveu-se a dois motivos: primeiro, porque Miguel Maria não é um atirador nato como o Carlos Lisboa tanto gosta; segundo, para abrir espaço ao jovem Rafael Lisboa, que parte para esta época como MVP da Divisão B do Europeu de sub-20. Nesta semana, também foi anunciada a saída do base esloveno Aliasz Slutej.


Também seria anunciada a saída de Micah Downs, que segundo a informação divulgada pelo clube, se deveu a uma falta de acordo na negociação do salário. Porém, uns dias mais tarde, o processo sofreu um volte-face, com o clube a anunciar a permanência do extremo de 33 no plantel para a nova época. A permanência de Micah Downs no plantel foi uma excelente notícia, visto que o extremo norte-americano é na minha opinião, o melhor jogador que passou pelo basquetebol encarnado nesta década.


Quanto a entradas no plantel, o clube começou por anunciar o regresso de dois jogadores que já tinham vestido as nossas cores: primeiro: o regreso do internacional português João "Betinho" Gomes, que aos 34 anos regressa ao Benfica depois de cinco anos em Espanha e Itália; segundo, o regresso do extremo-poste Damian Hollis, que representou o Benfica em 2016/2017, sendo um jogador influente na conquista do último campeonato dos encarnados.


Quanto a caras novas propriamente ditas, a primeira novidade no plantel foi a contratação de Eric Coleman. O poste de 34 anos, foi um jogador influente no bicampeonato da UD Oliveirense e será uma arma para o jogo interior. Mais tarde, seria também anunciada a contratação de Toure Murry. O base de 29 anos disputou 59 jogos na NBA ao serviço dos New York Knicks, Utah Jazz e Washington Wizards e chega ao Benfica depois de ter jogado em Itália na última temporada.


A última aquisição a ser anunciada foi a do poste Gary McGhee, oriundo dos gregos do Aris de Salónica. Na minha opinião, foi uma óptima opção ter contratado dois postes estrangeiros, visto que é a posição onde o basquetebol português se encontra mais carenciado.


As novidades para a nova época é que em 2019/2020. o campeonato irá ser disputado por 14 equipas em vez das habituais 12, sendo que o campeonato terá uma Fase Regular, seguindo directamente para o play-off, não existindo a fase intermediária. Porém, este formato só existirá nesta temporada, visto que irão descer três equipas de divisão e subir apenas uma para o campeonato voltar a ter apenas 12 equipas em 2020/2021


Estas mudanças devem-se ao regresso do Sporting à modalidade, que após mais de 20 anos de ausência, está de regresso, entrando directamente na Liga Placard. Luís Magalhães foi o homem escolhido para assumir o comando técnico da nova equipa leonina. O experiente treinador já conquistou cinco campeonatos nacionais e regressou a Portugal após vários anos em África. O Sporting construiu o seguinte plantel para atacar a época:


Bases: Ty Toney (ex-CR Esgueira), Diogo Ventura (ex-Galitos), Pedro Catarino (ex-Lusitânia) e Francisco Amiel (ex-Colgate Raiders)


Extremos: James Elissor (ex-UD Oliveirense), Travante Williams (ex-UD Oliveirense) e Diogo Araújo (ex-FC Porto)


Postes: Brandon Nazione (Olimpia Montevideo), Abdul-Malik Abu (ex-Osijek), João Fernandes (ex-AD Ovarense), Cândido Sá (ex-Rutgers Scarlet Knights)


Já a UD Oliveirense, actual bicampeã nacional. sofreu um rombo no plantel, segurando apenas um dos estrangeiros da época passada (Marc-Eddie Norelia). Para além dos jogadores estrangeiros, viu ainda sair o poste luso-montenegrino Marko Loncovic e o jovem base Francisco Albergaria (emprestado ao Illiabum).


A nível de entradas, contratou o extremo internacional português João Grosso à AD Ovarense. A nível de americanos, contratou Derrick Brooks Jr ao Terceira Basket, Shonn Miller, Aron Nwankwo e Milik Yarbrough (que entretanto já rescindiu contrato).


O FC Porto irá partir para a nova época como outro candidato ao título, tendo já conquistado a Supertaça no último fim-de-semana, derrotando a UD Oliveirense por 92-69. O clube orientado por Moncho López também sofreu algumas alterações no plantel, perdendo os portugueses Pedro Bastos para a Ovarense e António Monteiro para o Imortal, para além dos norte-americanos Will Sheehey e William Greaves. O FC Porto contratou quatro jogadores norte-americanos para o plantel: Max Landis, Preston Purfoy, Tanner McGrew e Noah Starkey.


Para além do campeonato, o Benfica também irá disputar a Fase de Grupos da FIBA Europe Cup. Isto já depois de ter disputado as pré-eliminatórias da Basketball Champions League, eliminando os holandeses do Donar Groningen na primeira eliminatória e caindo aos pés dos montenegrinos do Mornar Bar.


O clube fez um forte investimento na modalidade neste Verão e até ao momento, a equipa tem deixado impressões positivas. Toure Murry, Betinho e Micah Downs são jogadores capazes de assumir o jogo e com uma grande capacidade concretizadora. Por outro lado, Carlos Lisboa tem apostado no cinco inicial numa dupla anterior mais defensiva de modo a dar mais equilibrio táctico à equipa. Eric Coleman e Gary Mcghee são os títicos defensores do garrafão, ou seja, aqueles jogadores que fazem o "trabalho sujo" junto ao cesto; enquanto Arnette Hallmann é um hustler que, apesar das visíveis limitações técnicas, é um jogador que se destaca pela sua entrega e capacidade de luta, o que lhe confere um papel importante nos ressaltos e nos duelos.


Resta saber como Carlos Lisboa irá conseguir todos estes egos. Este plantel tem muita qualidade e possui vários ball handers, ou seja, jogadores capazes de assumir o jogo e que se sentem muito confortáveis com a bola na mão. De qualquer maneira, este plantel já mostrou ter muita qualidade (talvez o melhor desta década) e como tal, a equipa orientada por Carlos Lisboa tem a obrigação de fazer melhor figura do que nas duas épocas anteriores.



Plantel 2019/2020:

Nº 0 - Micah Downs

Nº 2 - Eric Coleman

Nº 4 - José Silva

Nº 8 - Gonçalo Delgado

Nº 10 - Fábio Lima

Nº 15 - João "Betinho" Gomes

Nº 16 - Gary McGhee

Nº 21 - Tomás Barroso (capitão)

Nº 22 - Arnette Hallmann

Nº 23 - Toure Murry

Nº 28 - Rafael Lisboa

Nº 88 - Damian Hollis

© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram