leaderboard.gif

Benfica no Feminino


Na última temporada, o Sport Lisboa e Benfica teve equipas femininas nos principais desportos colectivos, tornando-se num caso único em Portugal e quiçá no mundo inteiro. Assim alcançara mais um marco na história do clube, mostrando-se como um clube ecléctico e capaz de promover o desporto feminino em Portugal.

Nesta época que foi história para as nossas "desportistas de salto alto", irei aqui fazer um pequeno balanço do desempenho de cada uma das principais equipas femininas do Benfica e um ponto da situação do estado actual.


Futebol Feminino


O principal feito da nova temporada foi a criação de uma equipa de futebol feminino pela primeira vez na história do clube. Começando a competir na Segunda Divisão, foi feito um investimento estratosférico na equipa que lhe permitisse lutar pela conquista da Taça de Portugal. O objectivo foi cumprido com a equipa a conseguir a subida de divisão sem quaisquer dificuldades, mas o ponto alto seria mesmo a conquista da "Prova Raínha", eliminando o SC Braga (que conquistou a Liga BPI e a Supertaça) nas meias-finais e derrotando o Valadares Gaia na final por 4-0. Como se não bastasse, o futebol feminino ainda ganharia todas as provas nos escalões de formação (sub-15, sub-17 e sub-19). Foi claramente uma entrada a todo o gás.

Para a nova época já foram feitas algumas alterações no plantel. Saíram as brasileiras Rilany (fim da carreira) e Ana Alice e as portuguesas Filipa Rodrigues e Jassie Vasconcelos. Chegaram a canadiana Cloé Lacasse e as jovens portuguesas Lúcia Alves, Catarina Amado, Ana Seiça e Adriana Rocha. Carlota Cristo, Evy Pereira, Darlene Souza, Beatriz Carneirão e Ana Rita Lopes (Tita) já renovaram contrato.

Este Verão também fica marcado pela mudança no comendo técnico, com João Marques a ser substituído pelo antigo jogador do Benfica Luís Andrade, que já integrava a estrutura da secção como Secretário Técnico. Vai também ser criada uma equipa B para competir na Segunda Liga.


Futsal Feminino



Na última temporada deu-se continuidade à hegemonia no futebol feminino, com a equipa a ganhar tudo o que havia para ganhar a nível nacional pela terceira época consecutiva, ficando ainda em terceiro lugar no Torneio de Desenvolvimento da UEFA.

A nova época fica já marcada pela saída do treinador Bruno Fernandes. O Treinador que liderou a equipa para este domínio nacional será substituído por Pedro Henriques, que passou pela equipa masculina como treinador de guarda-redes e treinador-adjunto. De saída também estão as atletas Bety Delgado, Cláudia Costa e Ana Mendonça. Destaque ainda para a promoção das juniores Marta Costa (guarda-redes) e Beatriz Marques (fixa). As restantes atletas renovaram contrato.


Hóquei em Patins


Para não variar, a equipa orientada por Paulo Almeida voltaria a ganhar tudo internamente só com vitórias, enquanto na Liga Europeia, a equipa seria eliminada nos quartos-de-final pelo CP Voltregà. A época ficaria ainda marcada pela participação na Taça Intercontinental em Dezembro do ano passado, onde a equipa perderia nas meias-finais contra a equipa argentina do Concepción por 4-3.

A nova época fica marcada pela entrada do Sporting CP na modalidade, clube para o qual vão as gémeas Lopes. De saída está também a espanhola Aina Arxé para o CP Voltregà, bem como Sandra Coelho e Raquel Abreu. Também já foram garantidas as contratações da guarda-redes Margarida Brandão e da avançada Sofia Contreiras, da internacional espanhola Marta Piquero e ainda o regresso da internacional chilena Maca Ramos após um ano em Espanha. Maria Vieira, Inês Vieira, Marlene Sousa, Andreia Leal e Maria Sofia Silva renovaram contrato.


Basquetebol


O basquetebol feminino também voltou à actividade recentemente, tendo regressado à primeira divisão em 2013/2014. No entanto, ao contrário do futsal e do hóquei, a equipa não tem tido sucesso desportivo, não tendo ainda conquistado qualquer título desde então. Isto acontece porque o projecto não tem qualquer sustentabilidade e solidez, sendo que todos os anos a estrutura base da equipa é alterada.

O melhor conseguido até ao momento foi a chegada à final da Taça da Federação em 2016/2017 e a chegada às meias-finais do play-off da Liga Feminina em 2017/2018. Nesta última temporada, houve mudança de treinador, com André Cardoso a ser substituído por Isabel Ribeiro dos Santos. O plantel sofreu ainda duas alterações nas jogadoras estrangeiras durante a época. A equipa chegaria aos quartos de final do play-off, sendo eliminada pela equipa açoriana do União Sportiva.

Para a nova época, o clube já anunciou a saída da capitã de equipa Joana Ramos, as renovações de Dora Duarte e Mariana Silva e as contratações de Joana Soeiro e Josephine Filipe, oriundas do União Sportiva, clube que ganhou três dos últimos cinco campeonatos na modalidade.


Andebol



O andebol feminino foi mais uma modalidade que regressou na última temporada, com a equipa a começar na Segunda Liga. Depois de ter feito o pleno na fase da Zona Sul, na Fase de Promoção, a equipa disputou o acesso à primeira divisão taco-a-taco com o ABC e o AC Ílhavo. A tão desejada promoção chegaria já no último jogo, onde a equipa orientada por Ana Rita Sobral derrotaria o AC Ílhavo por 36-30. Na Taça de Portugal, a equipa seria eliminada na segunda eliminatória pelo Colégio de Gaia, clube que se sagraria campeão nacional.

Apesar de ter poucos anos de existência na sua história, o Benfca é o segundo clube mais titulado no andebol feminino, estando apenas atrás do Madeira SAD.


Voleibol



O voleibol está associado a um dos períodos mais dourados do desporto feminino do Benfica, com a mítica "Equipa das Marias", que conquistou nove campeonatos entre 1966 e 1975. Mais de vinte anos depois, o Benfica voltou a ter uma equipa de voleibol feminino, que iria começar na Terceira divisão.

A equipa orientada por Nuno Brites (ex-adjunto de José Jardim na equipa masculina) fez o pleno na Terceira divisão, vencendo os jogos todos na competição por 3-0, alcançando a subida sem quaisquer dificuldades. Na Taça de Portugal, seriam eliminadas na segunda eliminatória pelo CD Aves da Segunda Liga por 3-0, o que mostra que terão de se fazer alterações na equipa para conseguir lutar por mais uma subida na próxima época.


Pólo Aquático


Apesar de não estar englobada na matriz do futebol e das modalidades de pavilhão, não posso deixar de mencionar o pólo aquático feminino, que tal como o futebol, o futsal e o hóquei, fez o pleno a nível interno: campeonato, Taça de Portugal e Supertaça.

Fundada em 2014, o pólo aquático feminino é uma modalidade completamente ignorada pelo clube, com o investimento a sair do bolso dos seus responsáveis. Nestes cinco anos, a equipa já conquistou três Taças de Portugal e na última temporada conseguiu finalmente a conquista do campeonato, acabando com a hegemonia do Clube Fluvial Portuense.

© 2020 Benfica Independente

Contacto:

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram