leaderboard.gif

As dificuldades do Benfica - O que esperar do Eintracht Frankfurt.

Nas próximas duas quintas-feiras, o sorteio definiu que o Benfica irá enfrentar o alemão Eintracht Frankfurt nas quartas de final da Liga Europa. As Águias estão longe de ter a tradição continental dos Encarnados mas isto está longe de significar que os portugueses terão facilidade para garantir a classificação.


Depois de perder o técnico Nico Kovac para o Bayern de Munique, além de vários jogadores-chave após o fim da última temporada que culminou com o título da Copa da Alemanha, a impressão que passava é que o Frankfurt teria uma temporada difícil tanto na Bundesliga, com expectativa até mesmo de briga contra o rebaixamento, como também já na fase de grupos da Liga Europa, em que os adversários incluíam Lazio e Olympique de Marseille. A derrota sonora por 5 a 0 para o Bayern de Munique na Supercopa da Alemanha e a eliminação precoce na Copa da Alemanha só ratificou essa perspectiva.


Mas o que se viu foi um cenário completamente diferente disso. Foram incríveis 6 vitórias em 6 jogos na primeira fase da Liga Europa e já no mata-mata, o time não tomou conhecimento de Shakhtar Donetsk e Inter de Milão. Na Bundesliga a campanha impressiona: Invicto em 2019 (8V, 4E), quarto colocado na tabela e o terceiro melhor ataque da competição com 56 gols, atrás apenas dos gigantes Bayern de Munique e Borussia Dortmund.


A grande verdade é que a equipe do técnico Adi Hutter se tornou mais letal, mais completa e principalmente mais versátil que aquela montada por Nico Kovac na temporada anterior. Se precisa se fechar jogando de uma maneira mais reativa apostando em um jogo de transição rápido, o Frankfurt assim faz. Se apostar mais na posse de bola for necessário contra um adversário mais fechado, também é de se esperar que a execução seja feita com qualidade.

É impossível falar de Eintracht Frankfurt sem partir do "Magisches Dreieck" - o triângulo mágico.


O francês Sebastien Haller é a principal engrenagem desse triângulo, já que com sua força consegue segurar a bola no ataque e dar sequencia a maioria das jogadas iniciadas através da ligação direta. Também tem qualidade no passe e pisa a área para concluir as jogadas. Assim já são 14 gols e 9 assistências na temporada. Anton Rebic voltou em grande forma depois da boa Copa do Mundo que fez pela Croácia e é o responsável por romper espaços e entrar em diagonal. Também tem qualidade nos chutes de média e longa distância. Por fim, o terceiro elemento é justamente um jogador do Benfica. Luka Jovic está emprestado pelos