top of page
leaderboard.gif

Quanto vale afinal o Gonçalo Ramos?

Por toda a imprensa vemos e ouvimos comentadores a dar o Gonçalo Ramos como vendido no mercado de Verão que se aproxima. Segundo os mesmos parece inevitável a sua saída, mesmo tendo a clausula de rescisão fixada em “modestos” 120 Milhões de Euros.

Custa-me ouvir Benfiquistas que não se importariam com a venda do jogador por esses valores. Sinto que muitos ainda estão ancorados à forma de pensar da(s) ultima(s) década(s), em que a venda de jogadores por valores altos era celebrada como se de uma vitória desportiva se tratasse.

Gonçalo Ramos é neste momento, uma pedra fundamental da equipa de Roger Schmidt e é, provavelmente, o jogador mais difícil de substituir em caso de venda, senão vejamos:

— O modelo de Roger Schmidt pede um tipo de ponta de lança cujo perfil (Pressing Forward) onde Gonçalo Ramos encaixa como uma luva e que não abunda propriamente no mercado, muito menos ao alcance dos nossos bolsos. Arrisco-me a dizer que muito dificilmente encontraríamos uma solução com rendimento semelhante, mesmo batendo o nosso record de valor numa compra (34M por Darwin Nunez).

— As qualidades ao nível da pressão do Gonçalo são evidentes já há bastante tempo, mas mais recentemente isso tem sido aliado a uma tremenda eficácia na pequena área, característica que lhe era reconhecida em outros escalões mas tardava em se materializar na equipa A. Já se viam alguns sinais de que estaria para acontecer na 1a metade da época, mas após o Mundial do Catar, Gonçalo Ramos voltou com uma confiança que lhe permite demonstrar isso mesmo em campo.

Na ausência de Gonçalo Ramos, Roger Schmidt não encontrou no plantel outra opção que lhe desse rendimento semelhante e sentiu-se forçado a mudar a forma de jogar da equipa. Optou por perder presença na área para manter a qualidade na pressão lançando Gonçalo Guedes.

O Benfica de Roger Schmidt vai lançado para a conquista do 38º Campeonato Nacional, e tem sido a equipa sensação da Liga dos Campeões a par do Nápoles, com uma prestação que a todos nos orgulha.

Mas se queremos ser mais do que uma equipa sensação e ser um candidato à conquista desse cobiçado troféu na época 23/24 (e em diante), seria essencial dar estabilidade a este plantel, não vendendo peças fundamentais e reforçando cirurgicamente alguns setores que ainda podem ser melhorados. Se esta equipa a jogar junta sob alçada deste treinador em 8 meses está jogar o que joga, pensemos o que poderá ser capaz daqui a 1 ano, mantendo todos ou quase todos os jogadores.

Uma parte fundamental da estratégia para termos o Benfica Europeu que todos ambicionamos, tem que passar por sermos capazes de “segurar” os jovens do Seixal no mínimo uma a duas épocas depois de “explodirem” na equipa principal. Aplicando essa lógica ao plantel atual deveríamos fazer esse esforço por manter não só o Gonçalo Ramos, mas também o António Silva e o Florentino.

Percebo o clube precisa de vender para ter estabilidade financeira e que só esta nos permite investir com segurança. Mas enquanto Benfiquista, prefiro manter o Gonçalo Ramos no plantel e poder continuar a desfrutar dos seus jogos e golos do que 80, 100 ou até 120 Milhões de euros na conta do clube. A venda de jogadores pela clausula de rescisão não é um titulo que vamos poder colocar no museu Cosme Damião.

▶ Texto enviado pelo benfiquista Nuno Gouveia.


Queres publicar um texto no nosso site? Envia por email ou pelo formulário do site.


NOTA: A opinião aqui transmitida é da inteira responsabilidade do seu autor e não representa, necessariamente, a opinião do Benfica Independente.

コメント


bottom of page